sábado, 2 de agosto de 2014

Área Pastoral de São Francisco de Caiçara tem novo Administrador



Pe. Manoel Gilson Paiva é o novo Administrador da Área Pastoral de São Francisco de Caiçara (Cruz), na Paróquia de Santa Luzia de Jijoca de Jericoacoara. A posse aconteceu no dia 25 julho, às 19h, com uma missa solene concelebrada sob a presidência de Mons. Manoel Rômulo Rocha, pároco de Marco e Vigário Episcopal da Região Vale do Acaraú, e a participação dos padres Manoel Valdery de Cruz, Antonio Eudes de Acaraú, Fábio Mota de Jijoca e Gilson Paiva, novo administrador de Caiçara. Compareceram às solenidades: centenas de fiéis da sede, das capelas e comunidades pertencentes à Área além de uma grande caravana da Paróquia de Acaraú onde Pe. Gilson esteve exercendo seu ministério. Estiveram também presentes algumas autoridades como o Prefeito do Município Adauto Mendes e os vereadores Raimundo Brandão e Nenem Neves.


No final da celebração, Jeane Silveira falou em nome da comunidade, apresentando boas vindas ao Pe. Gilson. Pe. Valdery e Pe. Fábio falaram também, desejando bom pastoreio ao novo Administrador.


Pe. Gilson agradeceu a carinhosa acolhida do povo, a participação de todos e expressou seu desejo de bem servir aos seus paroquianos, solicitando igualmente a necessária cooperação da comunidade.


A Área Pastoral de São Francisco de Caiçara foi criada em julho de 2009 por Dom Antônio Fernando Saburido então bispo de Sobral. Seus primeiros administradores foram Pe. Mailson Costa Sousa e Pe. José Marcone Martins.




Fonte: Jornal Correio da Semana

sábado, 2 de agosto de 2014 por Edson Pinto · 0

sábado, 29 de março de 2014

Debate na AL discute PPP de Jericoacoara

ICMBio retirou a construção de hotéis, pousadas e restaurantes do projeto, que deve ficar pronto em maio

 

Jericoacoara, situado no Litoral Oeste, segue indefinido. Para debater a proposta de firmar uma Parceria Público Privada (PPP) para administrar a unidade de conservação foi realizada, ontem, audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. 
A falta de transparência sobre o que propõe a PPP foi a principal queixa apontada pelos moradores da Vila. Mas em um ponto todos foram unânimes: Jericoacoara, considerada uma das dez praias mais bonitas do mundo, precisa ser encarada como prioridade pelo poder público e necessita, urgentemente, de um ordenamento. 
Giovanna Palazzi, do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), responsável pela gestão do Parque, informa que um projeto composto por um conjunto de estudos está sendo desenvolvido. A previsão é que ele seja concluído no próximo mês de maio, quando deverá ser apresentado a todos os interessados. Apesar de ainda não ter sido finalizado, ela adianta já existem algumas definições. Entre elas, garante que a construção de hotéis, pousadas e restaurantes, antes previstas no projeto, foram excluídas. “Não tem necessidade para o Parque de Jericoacoara, pois a região já dispõe de toda essa infraestrutura”. 
Entretanto, outros pontos de apoio, como lanchonetes, são necessários para viabilizar o turismo em alguns pontos específicos. “Só que isso a gente ainda vai analisar um a um e fazer o desenho”, pondera. Giovanna explica, ainda, que a PPP não está definida. 
Pode-se mudar para uma parceria com o Estado e o Município, conforme foi mencionado na audiência pública. “Os estudos já mostraram que é viável, mas se não houver viabilidade política e institucional, não adianta fazer, porque a gente não vai conseguir implementar. A gente sabe que vai ser melhor, mas obviamente que toda mudança gera um certo receio”, afirma Giovanna.
Elogios 
Ela cita que no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha houve muita resistência, mas hoje, que está implementado, é bastante elogiado. “É um parque que não é tratado como nacional. Muita gente nem sabe que quando está ali na duna do pôr do sol, está em um parque nacional”, frisa. 
Em relação ao receio de perderem o seu meio de sobrevivência, Giovanna admite que a situação mais delicada seria a dos condutores. Ela explica que seria um transporte unificado e o Instituto não pode mais obrigar guias e condutores em parques nacionais. “A gente está olhando com muita atenção e pensa em uma situação transitória de implementação”, diz. 
Lindomar Philomeno, prefeito de Jijoca, deixa claro que não aceitará a PPP sem amplo debate com a comunidade, aprovação da Câmara dos Vereadores de Jijoca e a realização de um plebiscito para ouvir a população diretamente envolvida. “Nós fomos pegos de surpresa. Todo mundo sabe que uma empresa quando vai prestar serviços tem interesse financeiro. Em vez de fazer uma PPP, por que não fazem uma parceria com o Município? Se nós não formos ouvidos, vamos acampar, tacar fogo em pneu para impedir o acesso a Jericoacoara”, ameaça. 
Luana Lima
Repórter
Fonte: Diário do Nordeste,29/03/2014

 

sábado, 29 de março de 2014 por Edson Pinto · 0

domingo, 16 de março de 2014

Quem quer mudar Jericoacoara?

 
Isolado do frenesi dos grandes centros e ícone do Ceará para o mundo, o Parque Nacional de Jericoacoara se prepara para receber as três maiores intervenções de sua história. Cercadas de incertezas, ações simultâneas dos Governos Municipal, Estadual e Federal trazem a vila para o centro do debate público e levantam dúvidas sobre o futuro da área – até então intocada pelo avanço do concreto e máquinas.

Ao todo, são três grandes ações em curso: uma parceria público-privada (PPP) para gerenciamento do parque, a ampliação da Zona Urbana de Jijoca de Jericoacoara (permitindo construções na área) e grandes empreendimentos do Estado para turismo da região. Bancados pelo dinheiro público, os projetos atraem também olhares do setor privado.

Gestão privada
No caso da PPP, o gerenciamento do Parque será entregue à empresa vencedora de licitação. Ela ficaria responsável pela infraestrutura de Jericoacoara – como manutenção de guaritas e placas de sinalização. Em troca, o ente privado fica livre para explorar economicamente o espaço, com carta branca para cercar o parque e cobrar entradas. Apenas com isso, relatórios já preveem lucro de até R$ 60 milhões em 15 anos. 

“A Vila de Jericoacoara vai receber grande aumento na vinda de pessoas, e o parque acaba recebendo os impactos desse turismo. A PPP viria para equiparar esse crescimento com estrutura”, diz Wagner Cardoso, chefe do Parque Nacional de Jericoacoara pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio). Responsável pela fiscalização do Parque, Wagner admite que o órgão não possui estrutura para resguardar a região.

Atualmente, as três guaritas do órgão estão abandonadas. Sem sinalização ou efetivo para fiscalização, é comum ver veículos sobre as dunas e outros locais proibidos. “Poderia ser feito pelo próprio ICMBio, mas o órgão não tem orçamento”, diz Wagner, apontando que o modelo vem sendo replicado em diversos Parques Nacionais brasileiros.

A proposta de PPP causou polêmica após a empresa responsável pelo projeto, Idom, sugerir empreendimentos controversos, como um restaurante sobre a duna do Serrote e um teleférico. As ideias foram vetadas após repercussão e críticas.

Construções no entorno
Segunda alteração no bioma de Jericoacoara, lei do prefeito de Jijoca, Padre Lindomar (Pros), sancionada ano passado ampliou a Zona Urbana do Município. Com limites menos rigorosos entre a área de proteção do parque, a ação permite construções próximas de Jericoacoara e da Lagoa do Paraíso.

Na área atingida, está prevista construção de um luxuoso resort de 65 hectares - atualmente em licenciamento pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Semace) e acompanhada pelo Ministério Público do Ceará. A gestão argumenta que a expansão já era prevista no Plano Diretor do Município e segue tendência de crescimento da cidade.
As mudanças tem paralelo direto com grandes investimentos do Estado para o Litoral Oeste. Ao mesmo tempo em que ocorrem as intervenções, Cid Gomes (Pros) prepara inauguração ainda este ano do aeroporto de Jericoacoara e da duplicação da CE-085. Os investimentos superam R$ 155,4 milhões.

NÚMEROS
60 milhões É o lucro estimado para 15 anos da PPP de Jericoacoara
154 milhões é o volume de investimentos do Estado no Litoral Oeste

 SAIBA MAIS
1 Jericoacoara recebe, segundo o ICMBio, cerca de 500 mil visitantes por ano. Com a entrega do aeroporto e da nova CE-085, é esperado grande incremento. Atualmente, 20% do território do Parque nacional é impactado pelo trânsito de acesso à vila.
2 A PPP da gestão do parque de Jericoacoara ainda está em fase de estudos, com membros do conselho consultivo do Parque analisando que medidas vão ou não integrar edital da PPP. Previsão é que certame seja lançado até o ano que vem.
3 Apesar de ficar dentro da área de proteção, a vila de Jericoacoara é gerida pelo Município de Jijoca. Já o Parque Nacional de Jericoacoara é todo mantido pelo Governo Federal, através do ICMBio.

Fonte: O Povo

domingo, 16 de março de 2014 por Edson Pinto · 1

Presidente Dilma Rousseff visitará Sobral


Foi confirmado através de uma publicação no Facebook do ex-ministro Leônidas Cristino, na tarde desta sexta-feira, 14, ele anuncia a vinda da Presidente Dilma Rousseff, no próximo dia 19 de março. A presidente deve visitar ao lado do Prefeito de Sobral Veveu Arruda e do Governador Cid Gomes, a execução da obra do Programa Minha Casa Minha Vida.


Será a primeira visita de Dilma a Sobral, alem da visita a presidente lançar mais uma etapa do Projeto São José.


por Edson Pinto · 0

terça-feira, 4 de março de 2014

Carnaval com chuva em Caiçara

 
A manhã de terça-feira de carnaval foi marcada por uma forte chuva em Caiçara. Chuva que traz alegria para os foliões e para muitos agricultores, que já estavam bastante preocupados com o estado em que se encontram suas plantações, feitas nas primeiras chuvas do ano. 
Nos últimos dias a temperatura em Caiçara e em toda região estava muito alta e com as chuvas o calor ameniza um pouco. As previsões é de mais chuva.

                                                                                                  

terça-feira, 4 de março de 2014 por Edson Pinto · 0

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Justiça condena "compra premiada" em Itapipoca

Essa modalidade de crédito pode configurar crime contra a economia popular, por se tratar de pirâmide financeira


O juiz de Direito da comarca de Itapipoca, Gonçalo Benício de Melo Neto, determinou, no último dia 10, a paralisação das atividades das empresas Eletromil e Eletrosorte, situadas naquela cidade, pela prática de compra premiada. A decisão atende uma ação civil pública proposta pela promotora de Justiça do Juizado Especial Cível e Criminal de Itapipoca, Aspázia Regina Moreira Azevedo. 
Conforme a decisão judicial, as empresas ficam proibidas de realizar propagandas de seus negócios e firmar novos contratos com os consumidores. O descumprimento gera multa diária de R$ 2.000,00. Foi decretada também a indisponibilidade de todos os bens e a quebra do sigilo fiscal e bancário das empresas e seus sócios. 
Aspázia Azevedo explica que a “compra premiada” consiste na compra e venda parcelada com entrega futura, em que o consumidor paga mensalmente valor fixo e, ao ser sorteado, recebe o produto e fica exonerado das parcelas futuras. O contrato tem como objeto a formação de um grupo de consumidores que visa à aquisição de um determinado produto (moto, geladeira, fogão, etc). 
No entanto, a promotora de Justiça adverte a “compra premiada” pode configurar crime contra a economia popular, por se tratar de pirâmide financeira, como já advertiu a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Justiça, ao analisar situação semelhante nos estados do Maranhão e Pará. 
Quando da análise dos contratos relativos a esta prática ilícita, a promotora de Justiça constatou cláusulas contratuais abusivas e, principalmente, que as empresas não estavam entregando o bem, objeto do contrato, no prazo estabelecido, quando o contratante era sorteado ou quitava integralmente suas prestações.
Fonte: CNews

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014 por Edson Pinto · 0

© Caiçara Notícias - Todos direitos reservados. | 2009 - 2014 | Editado por George Albuquerque Pinto